A primavera de 2019.

Orquídea silvestre. Fonte: Autor.

A primavera astronômica (equinócio) começará nessa segunda-feira (23) às 4 horas e 50 minutos. A primavera climatológica começou junto com setembro. O equinócio é quando noite e dia tem a mesma duração. A primavera é uma estação de transição, primeira parte com características do inverno, segunda parte do verão. Suas maiores características são sentidas nas zonas temperadas, e menor nas zonas quentes e frias. É uma estação de transição, tanto, que começará com frio devido a influência de uma massa de ar polar sobre a região sul.

A primavera desse ano estará sob a influência da neutralidade climatológica (figura 1), ou seja, nem El Niño que terminou (figura 2), e nem La Niña.

Figura 1: Modelo de probabilidade de El Niño – IRI ENSO. Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University – EUA.
Figura 2: Previsão para anomalias no El Niño. Fonte: NCEP/NOAA – Center for Weather and Climate Prediction – National Weather Service – EUA.

A principal característica da neutralidade climatológica é a variação (temporal e espacial), tanto para precipitação como para temperatura. Chove mais num lugar, menos noutro. Esfria bem, logo em seguida esquenta, ou vice-versa. Os modelos internacionais apontam tendências mais próximas. Para precipitação ficaria igual ou acima da média para os meses de outubro e novembro, e dentro da média histórica para dezembro. Quanto a temperatura igual ou acima da média para outubro, e dentro da média para novembro e dezembro. O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) coloca chuva e temperatura igual e acima da média histórica para o trimestre. O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) junto com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) no seu Boletim Climático para o Rio Grande do Sul, que cobre também nosso estado, indica chuva dentro da média para os meses de outubro e dezembro, e igual e abaixo da média para novembro. Quanto as temperaturas ficariam dentro da média histórica.

Para a região de Itajaí as médias históricas para precipitação são de 155, 150 e 161 mm para o trimestre outubro, novembro e dezembro. Quanto a temperatura adotamos a média das mínimas e das máximas, pois seria o comportamento médio esperado para o trimestre. Para as mínimas valores de 16,8°C, 18,3°C e 20,0°C. Para as máximas 24,7°C, 26,7°C e 28,7°C respectivamente.

A média dos dias de chuva, onde ocorre alguma precipitação, são de 15 dias para outubro e novembro e de 16 dias para dezembro. O vento predominante muda para a direção de nordeste, e secundário de sudoeste para outubro, sudeste para novembro e norte para dezembro.

Lembrando que pela aproximação do sul do continente temos entrada de frentes frias e suas consequências até o fim da primavera, ou seja, mesmo que tardiamente pode ocorrer ondas de frio. Outros reflexos desses sistemas são maré meteorológica e seus impactos na costa.

Ótima primavera a todos.

Primavera de 2018.

No próximo sábado (22/09) às 22 horas e 54 minutos começará a primavera astronômica, ou seja, nosso equinócio de primavera, onde o dia e noite terão a mesma duração. A primavera climatológica começou com o mês de setembro.

A primavera é uma estação de transição – sua primeira parte mantém algumas características do inverno, e na segunda parte, do verão. Na primeira parte, mesmo com aumento gradativo da temperatura, ainda temos passagens de frentes frias, e depois entradas de massas de ar polar. A média das temperaturas mínimas e máximas para os meses de setembro, outubro e novembro é de 16,6/24,4°C, 18,1/26,5°C e 19,7/28,3°C. Essa média é importante para termos ideia do comportamento esperado para nossas temperaturas mínimas e máximas diárias. A temperatura mínima recorde foi de 3,4°C em setembro de 1981, e a máxima de 35,8°C em novembro de 2002.

Na região sul, e assim em nossa região, a primavera é a estação de recuperação das chuvas, já que há uma diminuição no outono e inverno. Na primavera do ano passado tivemos chuvas abaixo da média histórica. Nesse ano somente os meses de janeiro e março tiveram chuvas acima da média,  considerando os dados da estação meteorológica de Itajaí do Instituto Nacional de Meteorologia. Lembrando que a primavera do ano passado e parte desse ano estávamos com neutralidade climatológica. A média de chuva esperada para o trimestre (set/out/nov) é de 146, 157 e 152 mm respectivamente. O recorde de chuva nessa estação foi registrado no mês de novembro de 2008, com 725 mm (bairro Itaipava, Itajaí). Na estação meteorológica da Univali (centro, Itajaí) foi de 570 mm.

Essa primavera estará sob a influência do El Niño (figura 1), aparentemente com intensidade fraca (figura 2).

Figura 1: Modelo de probabilidade de El Niño – IRI ENSO.  Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University – EUA.
Figura 2: Temperatura da superfície do mar. Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University – EUA.

Com a condição de El Niño (aquecimento anormal do Oceano Pacífico Tropical) os modelos atuais, nacionais e internacionais, apontam para chuvas na média e acima da média histórica. Alguns modelos colocam chuvas entre 25 a 50 mm acima da média histórica. Para as temperaturas os modelos indicam valores acima da média histórica. O inverno teve temperaturas dentro e abaixo da média histórica, comportamento típico da estação, e a primavera, será um pouco acima, mais quente.

Finalizando é esperado em média de 15 dias de chuva/mês, e o vento predominante é de nordeste, e a segunda direção é de sudoeste.