Primavera de 2018.

No próximo sábado (22/09) às 22 horas e 54 minutos começará a primavera astronômica, ou seja, nosso equinócio de primavera, onde o dia e noite terão a mesma duração. A primavera climatológica começou com o mês de setembro.

A primavera é uma estação de transição – sua primeira parte mantém algumas características do inverno, e na segunda parte, do verão. Na primeira parte, mesmo com aumento gradativo da temperatura, ainda temos passagens de frentes frias, e depois entradas de massas de ar polar. A média das temperaturas mínimas e máximas para os meses de setembro, outubro e novembro é de 16,6/24,4°C, 18,1/26,5°C e 19,7/28,3°C. Essa média é importante para termos ideia do comportamento esperado para nossas temperaturas mínimas e máximas diárias. A temperatura mínima recorde foi de 3,4°C em setembro de 1981, e a máxima de 35,8°C em novembro de 2002.

Na região sul, e assim em nossa região, a primavera é a estação de recuperação das chuvas, já que há uma diminuição no outono e inverno. Na primavera do ano passado tivemos chuvas abaixo da média histórica. Nesse ano somente os meses de janeiro e março tiveram chuvas acima da média,  considerando os dados da estação meteorológica de Itajaí do Instituto Nacional de Meteorologia. Lembrando que a primavera do ano passado e parte desse ano estávamos com neutralidade climatológica. A média de chuva esperada para o trimestre (set/out/nov) é de 146, 157 e 152 mm respectivamente. O recorde de chuva nessa estação foi registrado no mês de novembro de 2008, com 725 mm (bairro Itaipava, Itajaí). Na estação meteorológica da Univali (centro, Itajaí) foi de 570 mm.

Essa primavera estará sob a influência do El Niño (figura 1), aparentemente com intensidade fraca (figura 2).

Figura 1: Modelo de probabilidade de El Niño – IRI ENSO.  Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University – EUA.
Figura 2: Temperatura da superfície do mar. Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University – EUA.

Com a condição de El Niño (aquecimento anormal do Oceano Pacífico Tropical) os modelos atuais, nacionais e internacionais, apontam para chuvas na média e acima da média histórica. Alguns modelos colocam chuvas entre 25 a 50 mm acima da média histórica. Para as temperaturas os modelos indicam valores acima da média histórica. O inverno teve temperaturas dentro e abaixo da média histórica, comportamento típico da estação, e a primavera, será um pouco acima, mais quente.

Finalizando é esperado em média de 15 dias de chuva/mês, e o vento predominante é de nordeste, e a segunda direção é de sudoeste.

Como será o outono desse ano?

O outono astronômico começará no dia 20 desse mês às 1h30min. com o equinócio de inverno, onde o dia e a noite terão a mesma duração. O climatológico começou com o mês de março. Essa estação é marcada pela transição, ou seja, sua primeira metade mantém características do verão e a segunda metade característica do inverno. Começa quente e vai esfriando até chegar o inverno.

O outono desse ano começa sob a influência do El Niño, mas o mesmo está enfraquecendo, e terminará em Maio (figuras 1 e 2), onde entraremos num período de neutralidade climatológica. As características gerais do fenômeno El Niño na região centro sul são chuvas e temperaturas acima da média. Assim com o enfraquecimento do mesmo, essas características vão perdendo a força gradativamente. Contudo existe um período de transição entre 60 e 90 dias que se mantém a influência do mesmo. Conforme os institutos nacionais e internacionais esse El Niño de 2015/2016 foi equivalente aos de 1997/1998 e 1982/1983, ou seja, eventos considerados fortes.

Figura 1 - Anomalias positivas da temperatura da superfície do mar (TSM). Fonte: NOAA Center for Weather and Climate Prediction
Figura 1 – Anomalias positivas da temperatura da superfície do mar (TSM). Fonte: NOAA Center for Weather and Climate Prediction. Modificado pelo LabClima/UNIVALI.
Figura 2 - Previsão de consenso para ENSO - El Niño - Oscilação Sul. Fonte: International Research Institute for Climate and Society - Earth Institute - Columbia University. Modificado pelo LabClima/UNIVALI.
Figura 2 – Previsão de consenso para ENSO – El Niño – Oscilação Sul. Fonte: International Research Institute for Climate and Society – Earth Institute – Columbia University. Modificado pelo LabClima/UNIVALI.

Para questão da precipitação os modelos nacionais e internacionais por consenso colocam chuva na média e levemente acima da média para o trimestre março, abril e maio. Alguns modelos reforçam essa condição principalmente para o interior do estado. Por outro lado, o oceano Atlântico está com temperaturas acima da média favorecendo as chuvas convectivas (por causa do calor e evaporação do mar), que também favorecem volumes acima da média.

A climatologia (média histórica) de nossa região demonstra que as chuvas diminuem no outono e principalmente no inverno. Para março, abril e maio os totais de chuva para Itajaí são de 179, 123 e 112 mm respectivamente.

Vale ressaltar que alguns modelos colocam irregularidades tanto espacial como temporal em relação a precipitação no estado. Apesar do El Niño nos meses de janeiro e fevereiro desse ano tivemos chuva abaixo da média, ou seja, irregularidades na chuva.

Quanto a temperatura os modelos nacionais e internacionais indicam temperaturas acima da média histórica. A média das temperaturas máximas para os meses de março, abril e maio são de 28,8°C, 26,7°C e 24,0°C respectivamente. Já as médias das temperaturas mínimas são de 20,2°C, 18,2°C e 14,9°C para o trimestre. Para esse mês de março, por enquanto, não há previsão de temperaturas baixas. Ondas de frio podem ocorrer, mas principalmente a partir da segunda quinzena de abril.

Ressalta-se que nossa região tem muitas áreas de riscos (alagamento, enchentes, deslizamentos, ressacas entre outras) e assim devemos ficar atentos aos avisos dos institutos meteorológicos e da Defesa Civil Municipal.

A primavera começa amanhã.

Nessa quarta-feira às 5h20min começará a primavera astronômica, ou seja, o equinócio de primavera onde o dia e a noite têm duração de 12 horas. A primavera climatológica já começou no mês de setembro. A primavera é uma estação de transição, e assim sendo, a primeira metade tem a cara do inverno e a segunda metade a cara do verão.

Essa estação estará sob a influência do El Niño que se fortalecerá nos meses de outubro e novembro (figura). As características gerais do El Niño para a região sul são de chuvas e temperaturas acima da média histórica.

Anomalia da temperatura da superfície do mar - Climate Prediction Center - National Weather Service - EUA
Anomalia da temperatura da superfície do mar – Climate Prediction Center – National Weather Service – EUA

Tanto os modelos internacionais como os nacionais indicam para essa tendência de chuva acima da média histórica com uma possibilidade de 75% na média e acima da média para o trimestre de outubro, novembro e dezembro. Modelos nacionais colocam anomalias positivas de 75, 50 e 25 mm acima da média que é de 154, 151 e 155 mm respectivamente.

A média das temperaturas mínimas para esse trimestre é de 17, 18 e 20°C e para as máximas de 24, 26 e 28°C respectivamente. Esse ano as temperaturas estão mais altas que as médias principalmente anomalias positivas nas temperaturas mínimas com até 3°C acima da média histórica e 1,5°C na temperatura média. Essa tendência continuará nessa primavera.

O vento predominante nesses meses é de nordeste com intensidade de 7 km/h. A média de dias com chuva é de 15 dias/mês, mas esse ano a média está em torno de 20 dias/mês.

Vale ressaltar que mesmo tendo tendência de chuvas acima da média, se for bem distribuída não trará maiores problemas. Nesse ano somente os meses de janeiro, abril e agosto tiveram chuva abaixo da média histórica e os demais acima e tivemos apenas problemas pontuais. Contudo é importante observar os avisos da Defesa Civil Municipal sobre eventos extremos.

 

Inverno sob influência do El Niño.

Hoje às 13h38min começará o inverno astronômico, ou seja, a passagem do equinócio de inverno no hemisfério sul com a noite mais longa do ano e as próximas também. O inverno climatológico já começou nesse mês de junho.

Esse inverno estará sob influência do El Niño que começou a se fortalecer no mês de Abril e continuará se fortalecendo até Dezembro, início do verão, conforme observamos na figura abaixo, com intensidade entre fraca a moderada.

Anomalias das Temperaturas da Superfície do Mar - Niño 3.4. Fonte: NWS/NCEP/CPC/NOAA/EUA.
Anomalias positivas das Temperaturas da Superfície do Mar – Niño 3.4. Fonte: NWS/NCEP/CPC/NOAA/EUA.

O El Niño de forma geral traz para o centro sul do país estações mais chuvosas e quentes.

Os principais modelos brasileiros do CPTEC/INPE e INMET/MAPA indicam para o trimestre de Julho/Agosto/Setembro chuva na média e acima da média histórica da região. Em relação as temperaturas ficarão acima da média histórica o que já vem ocorrendo nos últimos meses.

Para os modelos internacionais, principalmente o NCEP da NOAA (EUA) e o IRI da Universidade de Columbia (EUA) indicam também temperaturas acima da média histórica e chuva na média e acima de média histórica. O modelo da Universidade de Columbia coloca especialmente que a chuva ficará acima, mais próxima da média nos meses de Julho e Agosto, e a partir de Setembro 75% de chance de chuva acima da média histórica.

Para nossa região deveremos ter chuvas na média e acima da média histórica. Em Itajaí já vem chovendo acima da média histórica, mas de forma distribuída. No mês de Maio choveu 100% acima da média e nesse mês de Junho ultrapassamos em 7% acima da média com as chuvas do último dia 18. A média de chuvas para Itajaí é de 120 mm para Julho, 91 mm para Agosto e 142 mm para Setembro.

Quanto a temperatura deverá ser um inverno mais quente, mas com ondas de frio, ou seja, curtos períodos de frio mais intenso, como ocorreu nesse mês de Junho. No dia 16 tivemos a menor temperatura do ano com 5,5°C e depois no dia 19 com 7,6°C. A média das temperaturas mínimas para Itajaí no trimestre Julho/Agosto/Setembro é de 12, 13 e 14°C respectivamente. A média das temperaturas máximas para esse mesmo período é de 21, 22 e 23°C. A menor temperatura registrada em Itajaí foi em Agosto de 1991 com 0,5°C negativos e a maior temperatura registrada para o inverno foi em Agosto de 1993 com 36°C.

Finalizando como temos perspectivas de chuva acima da média histórica para os próximos meses é que os moradores de nossa região fiquem atentos aos avisos dos institutos meteorológicos, bem como das Defesas Civis Municipais.

O outono começa hoje à noite.

O outono astronômico começará hoje às 19h45min, ou seja, o equinócio de outono no hemisfério sul. O equinócio representa que as horas do dia e noite são iguais. O outono é uma estação de transição entre o verão e o inverno, onde a primeira metade mantém características do verão e a segunda metade assumindo características do inverno. Só percebemos o outono, como a primavera, com maior clareza nas médias latitudes (climas temperados ou subtropicais), onde essa estação fica mais evidenciada, principalmente pela temperatura.

Para a região de Itajaí essa estação traz temperaturas máximas de 27°C, 24°C e 15°C respectivamente e médias da mínimas de 18°C, 15°C e 13°C. Assim fica evidenciado a lenta diminuição da temperatura em direção ao inverno. Outra característica é a diminuição dos totais de chuva com 124 mm para Abril, 114 mm para Maio e 104 mm para Junho. Os sistemas frontais (frentes frias) também serão mais frequentes, bem como a passagem de ciclones extratropicais.

Os principais institutos nacionais com seus modelos apontam para a presença do El Niño, mas de forma fraca para esse outono. Os modelos nacionais colocam precipitação dentro da média histórica para o litoral e na média e acima da média para o interior do estado. Quanto as temperaturas ficarão na média e acima da média histórica.

Os modelos internacionais (NCEP-NOAA/IRI-COLUMBIA, etc.) corroboram com a presença do El Niño para essa estação. Quanto a temperatura esses modelos também indicam temperaturas acima da média histórica. Quanto a precipitação alguma divergência. Esses modelos colocam chuva na média e acima da média histórica para os meses de Abril e Maio no estado, e não somente no interior.

Importante ressaltar que as chuvas começam a diminuir no outono, mas principalmente na região sul devido a mudança do tipo de chuva. No verão as chuvas convectivas (pancadas de verão) prevalecem, mas com a presença também das chuvas frontais (passagem de frentes frias). O outono as chuvas convectivas diminuem e assim os totais também diminuem. Contudo nesse outono a temperatura da superfície do mar (TSM) do Atlântico Sul está mais quente, favorecendo a presença maior das chuvas convectivas. Assim é possível termos chuva acima da média histórica, mas sem prognósticos ou confirmação de volumes elevados nesse momento.